Luciano Oliveira, de 44 anos, era atleta no começo dos anos 2000, e hoje trabalha para aplicativos de entrega de comida. Na reportagem da BBC que o apresentou ao público, reclama: “Estou desde meio-dia sem comer nada, meu filho. passapalavra.info/2020/08/1336

É muita correria, só dá tempo para tomar água”. Consegue cerca de R$ 400,00 por mês com quatro a cinco entregas por dia, numa jornada de oito horas. O detalhe:

Luciano é cadeirante, por causa de poliomielite na infância; seu veículo de entregas não é a moto ou a bicicleta, mas a cadeira de rodas. Enquanto a reportagem conversava com o entregador, um transeunte dizia: “Preciso te parabenizar pela coragem. Não está por aí se vitimizando”

Sign in to participate in the conversation
Mastodon

The social network of the future: No ads, no corporate surveillance, ethical design, and decentralization! Own your data with Mastodon!